É uma das aves mais altas da fauna do nosso país, podendo ultrapassar o metro e meio de altura.

Em média os machos são um pouco maiores e têm o pescoço mais comprido do que as fêmeas.

A sua coloração rosa é uma consequência de alguns dos seus alimentos serem ricos em substâncias que têm essa tonalidade.

O formato e o tamanho do bico estão adaptados para bombear e filtrar a água que contém o seu alimento (por exemplo, crustáceos, moluscos, algas, sementes, plantas e até pequenos peixes).

As penas de cobertura das asas são cor de rosa vivo e as penas de voo são pretas.

Os juvenis têm o pescoço e as patas mais curtos e a plumagem que inicialmente é castanho-acinzentado vai, à medida que o indivíduo se aproxima da maturidade, sendo substituída por uma plumagem branca e finalmente rosada.

Acasala com o mesmo indivíduo toda a vida.

Perto de Lisboa é possível avistar flamingos no estuário do tejo e no estuário do sado. Alguns são residentes, passam o ano nestes locais, mas muitos, em idade de se reproduzir, são invernantes. Na primavera voam para outros locais para nidificar, por exemplo para o norte de África.

Flamingos no Estuário do Sado from Wilder – Rewilding Your Days on Vimeo.

Mais informações sobre o flamingo http://naturlink.pt/article.aspx?menuid=55&cid=40250&bl=1&viewall=true

Leave a Reply